quinta-feira, novembro 30, 2006

Leonardo

Ele é um miúdo como tantos outros, que teve o azar de perder o seu pai há pouco tempo; e de ter uma mãe que pouco lhe liga. O pai morreu devido a uma toxicodependencia, da qual nunca conseguiu sair, e a mãe teve o filho porque calhou a dormir com o pai dele naquela noite... Tem o filho, mas pouco afecto lhe dá. E isso nota-se, logo à primeira vista.

Vive uma parte da semana com a mãe, outra parte com os avós paternos, embrulhado a ver a mãe que perdeu um filho chorar p'lo mesmo cada vez que vê o seu neto.

Foi na Terça-Feira que conheci o Leonardo. Conheci-o porque a minha mãe me pediu para ir ajudar a escolher um computador para o miúdo porque os avós nada percebem disso. Pensei que iria ser uma seca habitual, ir a uma loja e escolher componentes. Nada disso! O avô do Leonardo trouxe uma caixa, que pensava ser um computador, e que era para ensinar a mexer naquilo. Eram simplesmente umas colunas de som, nada mais... De computador nada tinha... Os olhos de tristeza do rapaz acentuaram-se naquele momento, porque não ia poder ter o computador. Expliquei o que teriam que fazer para comprar um computador e predispus-me a ir lá com eles num outro dia sem ser tão em cima da hora. E ofereci-lhe um monitor que tinha lá e que para nada me serve.

Entretanto levei-o para ver a cave. Os olhos do Leonardo ganharam vida, brilho! Ele parecia que queria estar ali a observar as minhas máquinas para sempre. Parecia estar completamente maravilhado com o que via. Um momento feliz para o miúdo de apenas 8 anos de idade! Comecei a tentar falar com ele, a tentar aperceber-me do que ele gosta e não gosta; depressa percebi que é um adorador de Ferrari (como qualquer miúdo que se preze! :P), p'lo comentário que fez ao poster do 360 Modena que tenho na minha cave. Mostrei-lhe mais fotos, comecei a ganhar a confiança dele, e ele começou a mostrar o quão meigo era.

Naqueles pequenos momentos o Leonardo mostrou que tinha falta de muita coisa! Coisas simples, como a atenção e o carinho, coisas que qualquer criança merece, e que esta, por infortúnio dos seus pais, e uma tremenda falta de jeito dos seus avós, se vê privada de algo tão substancial ao seu crescer como pessoa! Este miúdo, quando lhe disseram que se tinha de ir embora, ficou a choramingar... "Eu estou a gostar de estar aqui... Não vamos já..."

Comoveu-me, acreditem! É das formas mais puras de amizade que se podem criar num breve momento, é amizade sem compromissos ou intenções, é mesmo só e simplesmente amizade, daquela que marca. Porque dei, sem querer nada em troca, um pouco de carinho e atenção a quem precisa dela como o rio precisa de água. E recebi, em troca, daquelas pequenas coisas que são simplesmente impagáveis: uns olhos de criança que brilham!

Sempre que poder, vou dar um pouco de atenção ao Leonardo. Se calhar até lhe pago o computador, quem sabe... :)

10 comentários:

Jú disse...

É tão importante e tão bom SENTIR... é tão bom dar e receber assim... :)

Fafa disse...

Tenho orgulho em ser tua amiga =:)*

Anónimo disse...

;)

Parafuso disse...

Quem sabe encontraste mais um amigo para a vida inteira?!... Dá-lhe atenção que ele precisa e tu vais ser mais FELIZ de certeza. Dar sem receber nada, eis o valor espiritual que não se pode comprar.

Se quiseres combinamos um encontro para ele andar um pouco de Kayak, deve gostar a experiência.

BELA disse...

Sabia o que estava ai dentro, quando fiz de ti meu amigo. Sabes que sou uma chorona e mais uma vez lá apareceram as lágrimas. Desta feita por tua causa, em bem digo que tu és um doçe. O Mundo ainda não começou a girar ao teu ritmo, mas um dia vais ser uma pessoa muito feliz. Só tenho pena de não estar para ver. Por tudo o que és,
ADORO-TE.

squiddy - il calamaro disse...

Há coisas "simples" que nos preenchem e até dão sentido à vida! Aproveita a disposição!
:D

JP disse...

Sovina como és nem lhe pagas 1 rato qto + 1 computador!! :P
Vê lá se não tornas o miúdo mais 1 cromo da informática.
Ele tem nome de artista por isso dá-lhe uma tela e uns pinceis!

Migaralhix disse...

Bem haja. Às vezes temos estes sentimentos "tão cá dentro" que nem sabemos que os temos, ou se sabemos, não sabemos como os usar. Deste um exemplo a ti próprio de bondade, solidariedade e de amizade no seu estado MAIS puro..tudo por nada!!! Revelaste assim um pouco mais de ti....faz bem! :)

as velas ardem ate ao fim disse...

Pois é comoveste me...

As vezes é preciso tão pouco para ser feliz...Um bocadinho de atenção e amor!

Bjinhos Ricardo

Anónimo disse...

Bonito...