sexta-feira, janeiro 13, 2006

Culpas

Nos dias que correm, não há presunção de inocência! Há presunção de culpa! A pessoa é culpada até que prove a sua inocência... E mesmo que prove a inocência, fica sempre a dúvida no ar... O julgamento popular é tramado! :)

PS: Não me estou a lembrar necessariamente das capas de jornal de hoje... Mas deram-me a ideia para este post.

4 comentários:

Lala disse...

"Quem não deve não teme"
ou
"Não há fumo sem fogo"
ou
"Quem tudo quer, tudo perde"
Ou, ou, ou,
a quantidades de dizeres que se podiam acrescentar.
Mas sabes o que eu acho mesmo?
"Deus escreve direito por linhas tortas". Mais tarde ou mais cedo, todos nós vamos acertar contas com ELE.

Joaquin Gomez aka "Vendetta" disse...

“Viver sem culpas” é um objectivo que toda a cultura progressista oferece à humanidade. O sentimento de culpa é condenado como um resíduo de antigas tradições repressivas, que deve ser abandonado às portas de uma nova era de felicidade e realização pessoal. Esse é hoje um ponto de acordo entre adeptos das correntes mais opostas. Sacramentada pelo consenso, a condenação da culpa tem tantas legitimações diversas, que na verdade já não precisa de nenhuma delas e vive perfeitamente bem como uma auto-evidência que prescinde de argumentos.

joana disse...

Sim, realmente a célebre frase " todos somos considerados inocentes até provas em contrário" (acho que é mais ou menos isto), está mesmo, e infelizmente, fora de "moda"...e pior que isso, há muitas pessoas que, mesmo depois de provarem a sua inocência, acabam por sofrer na pele e, futuramente, nas suas vidas, as consequências desse mesmo julgamento popular!

Fafa disse...

... e eu a pensar que já estávamos no século XXI... ???!!!