domingo, novembro 14, 2010

O tempo

Há uns meses, aquando de umas largas mudanças na minha vida, disseram-me "não te preocupes que o tempo cura tudo". Não direi que são sábias palavras, porque não passam de mais um cliché entre tantos outros. E todos sabemos o quanto odeio clichés... E quanto me irrita a língua francesa de onde vem esta palavra!...

De qualquer forma, o tempo talvez cure tudo! Não cura totalmente, apaga, tapa, esconde, mas não resolve. O resolver vem de dentro de cada um, e isso depende de cada um, onde cada qual limpa as suas mágoas e os seus ódios. Talvez isso leve o seu tempo é certo, e talvez daí venha o supracitado cliché

Que fiz eu para fazer o tempo passar melhor? Falei, e falei muito! Talvez tenha falado demais, mas isso faz parte de mim. Falo demais, falo a mais e digo aquilo que só deveria dizer a dois ou três. Tenho falado muito, e com isso tenho conhecido pessoas fantásticas e com isso tenho sido mais feliz. A minha vida mudou muito, talvez demais para quem tem um temor e ódio a mudanças - sim, odeio-as! Talvez sejam necessárias, é certo mas odeio-as de qualquer forma!

Essas mesmas pessoas fantásticas têm-ne feito feliz de alguma forma, fazem-me sentir útil e saber que tenho um valor enorme, sinto-me grande! Como diz o Gomes, "afinal não és pequenino...", ou o Vargas que me diz "afinal sempre és útil para algo". Vindo destas pessoas acreditem que é um elogio! Algures no fim de Agosto de 2010, uma destas personagens virou-se para mim e disse "Olha, não te conheço de lado algum, mas não pareces bem. Há um jantar com pessoal às quintas em minha casa. Se quiseres aparece, é capaz de te fazer bem." - isto não acontece todos os dias! E essa mesma pessoa, quando saí extemporâneo da sala para ir dar um giro, disse aos colegas "vamos lá ver se não faz um disparate...". Estas coisas marcam!

Mas de facto o tempo passa e vão surgindo novas coisas, novas sensações... Não se pode é cair no ímpeto do imediato, de uma espécie de metadona. Seria capaz de ser uma terapia interessante, mas não quero e não desejo tal coisa. Quero a droga toda, a completa, não quero terapias de substituição! Quero o filme completo, quero-me sentir realmente feliz! 

Um dia, quem sabe, quando o tempo tiver feito o seu trabalho!...

1 comentário:

I am S.H.E. disse...

Tempo é aquilo que passa por mim, por ti, "por ele"... tempo é aquilo que para cada um de nós não dura para sempre... mas que piada teria se assim fosse não é???
Logo, atribui a ti a responsabilidade de fazer do TEU TEMPO o melhor que podes... Tempo é uma dádiva que merece que a agarres e explores da melhor forma que puderes.
E assim te deixo com António Gedeão... :)

"Tempo... Tempo é poesia

Desde a arrumação do caos
À confusão da harmonia..."


* gr meu querido