segunda-feira, junho 19, 2006

Ai que o meu filhinho é Español...

Já andava há imenso tempo com vontade de falar desta coisa do fecho das maternidades. Tanto alarido sobre o fecho de meia dúzia de maternidades, que acho exagerado.

O Governo fala de controlo de qualidade na assistencia às mães, o que me parece bem. Pelo que me lembra de ouvir as maternidades que estão a ser encerradas não cumprem um conjunto de requesitos previstos p'la Organização Mundial de Saúde, nomeadamente o número de partos anuais em algumas dessas maternidades. Mas parece-me que também se falou em falta de equipamentos e falta de profissionais! Estes dois factores parecem-me importantes de facto. E se é de facto assim como o Governo diz, parece-me bem serem encerradas. Note-se que não fecham os serviços de acompanhamento pré e pós-natal, só mesmo os serviços que apoiam o parto. Portanto as grávidas não têm que fazer mais kilómetros do que antes. Só mesmo na altura do parto! As organizações que têm feito mais barulho têm-se, convenientemente, esquecido deste pormenor "insignificante".

O Governo, por outro lado, não fala dos controlos de custo na saúde, o que me parece mal, porque convém dizer as coisas como elas são. Ou se fala, pouca relevância lhe dá... Convenientemente para o Governo! Mas o facto é que essa é outra das razões, e convinha explicar isso também. Se os custos não compensam os benefícios, e se esses benefícios até se podem transformar em malefícios, convém mesmo fazer as continhas! Já que estamos com problemas de dinheiro...

No caso de Elvas, que tem sido de longe o mais noticiado, toda a gente fala que não querem ter os filhos em Espanha! Ai que horror... Filho nasce em Espanha, mas é Português devido aos acordos assinados! Não interessa! É em Espanha, logo só pode ser mau!! "Nem bom vento nem bom casamento". Pois. De Elvas a Badajoz são 11 Km, de Elvas a Évora são ainda uns bons kilómetros é certo, mas que se fazem em 30-40 minutos. Quem vive em Lisboa, a certas horas concerteza demorará mais tempo a chegar à maternidade... Quem vive na linha de Cascais idem!

Não entendo tanto barulho! Sempre que se tenta mudar algo, por mais simples que seja a mudança, há logo gentinha complicada a fazer barulho. Nem comento as providencias cautelares impostas p'las organizações que querem impedir a todo o custo o encerramento! Estas medidas só terão efeitos a médio prazo... Que tal dar o benefício da dúvida a quem está no comando?

5 comentários:

Ariadne disse...

Leitura posta em dia ;)

Jokas pra ti
BB

Parafuso disse...

Concordo contigo, está ser feito mudanças na máquina "estatal", preocupação de qualidade na assistência, mas as pessoas é que ainda continuam agarradas a certos hábitos e preconceitos mesquinhos.

Enfim... haja paciência!!!

Viva o Portunhol...

Fafa disse...

não concordas com o alarido? experimenta entrar em trabalho de parto e ter de enfrentar uma viagem dessas pela frente, e depois conversamos! :S :S :S

Ricardo Ramalho disse...

Mas demoras mais tempo muitas vezes aqui em Lisboa, para chegar aos hospitais centrais... Daí eu não perceber o alarido!

Além de que prefiro que hajam muito bons cuidados de saúde para os partos em poucos sítios do que medianos cuidados em muitos sítios.

Além de que as dores de parto não são coisa anormal... Deve fazer parte de ser mulher, acho eu. :)

Fafa disse...

Eu percebo o alarido... e CONCORDO...
Pensa numa das piores dores físicas que possas imaginar... e depois imagina que tens que a aguentar numa viagem hilariante de 2 horas até ao hospital mais próximo... com buracos na estrada, curvas, etc etc... e um palerma ao teu lado a dizer: tens de aguentar, só mais um pouco... respira...
Dou-te um exemplo: estás a ver o que é ter de enfrentar o caminho Nordeste - Ponta Delgada com um bébé a querer saltar para fora da barriga??!!! Desencoraja qq um só de pensar!! Só mesmo as mulheres para conseguirem aguentar estas coisas!!... Se o primeiro ministro fosse GAJA, talvez as coisas fossem diferentes!
Quanto à qualidade... Eu preferia que houvesse ÓPTIMA qualidade em todo o lado... e mais hospitais... e mais médicos... e mais postos de trabalho... e melhores condições... UM PAÍS MELHOR!!