quarta-feira, dezembro 28, 2005

Livros

Estão a ver aqueles dias em que realmente há vontade de escrever mas não se sabe sobre o quê? Pois... Hoje é um desses dias. Mas vou escrever.

Ofereceram-me pelo Natal/Aniversário montes de coisas. Mas vou destacar um livro que me deram, e que por acaso já tinha visto numa grande superfície. O livro é uma colectania dos melhores contos do H.P. Lovecraft traduzidos em português. A capa já me tinha chamado à atenção. Parei de ler o livro que estava a ler e comecei de imediato a ler este... Admito que estou a ficar desde já viciado. Se quisesse muito poderia ter lido em Inglês, mas já que posso ler na minha língua mãe, porque não?

Mas acho que mesmo assim o Edgar Alan Poe é mais macabro nas descrições! ;)

7 comentários:

Parafuso disse...

Nunca li nada sobre este autor, mas a curisosidade acentou-se mais agora...

Este escritor não foi aquele que morreu sem ter publicado um livro, apenas contos e poemas em publicações regionais lá do sitio dele. Mais tarde alguém reuniu a sua obra para ser divulgada, como agora é conhecida?!? Acho que era um menino prodigio, naquela altura?!...

Joaquin Gomez aka "Vendetta" disse...

Aproveita o intervalo da leitura com o jogo ;)

FIEND é uma mistura de acção e aventura a exemplo de jogos conhecidos como Resident Evil e Alone in the Dark. O jogo captura toda atmosfera dos contos macabros do escritor americano H.P. Lovecraft. Nele, você é convidado a percorrer várias locações investigando, consultando livros numa biblioteca, colhendo depoimento de pessoas e encontrando objectos que poderão ser imprescindíveis nesse desafio. O jogo foi criado numa estrutura de programação para oferecer muita acção, por isso, pode-se esperar surpresas a qualquer momento da aventura!

joana disse...

Neste tipo de "Literatura Fantástica",penso que o mais importante é a FORMA como os contos ou histórias são contadas, o suspense que criam...o verdadeiro terror é aquele que nos prende e que persiste mesmo quando vamos para a cama e apagamos a luz, é aquele que se recorda mesmo quando não se quer pensar nele...e essa proeza poucos autores conseguem ou conseguiram...

Quando era mais nova, lembro-me de, em casa de casais amigos dos meus pais, juntar-me com o meu grupo de amigos (filhos deles) e irmos para uma sala ver "filmes de terror" que naquela época davam na tv depois da meia-noite...era o máximo! Muitas vezes chegámos a ficar ali sentados, o resto da noite, presos ao ecran e a seguir ao filme ainda comentávamos...noites "fantásticas"em que o sono tardava a chegar...

Ah!...Lovecraft era um narrador brilhante...

Anónimo disse...

Este comentario nada tem a haver com o que escreveste no blog, mas sim um pedido de desculpa.
Não te demos os parabens por nos esquecemos do aniversário não de TI.
Deixa no entanto que te diga , para quem nasceu no dia de Natal todos os dias são Natal, por isso, Parabens Ricardo!

Azrael Angel disse...

"Mas logo soava o relógio de ébano que se erguia na parede de veludo. E então, durante um instante, tudo parava e tudo silenciava excepto a voz do relógio. os sonhos paravam, como que gelados, ecos do carrilhão, porém, morriam - haviam durado apenas um instante - , e uma leve gargalhada, mal contida, acompanhava os ecos que morriam."

Azrael Angel disse...

edgar allan poe

Azrael Angel disse...

http://mundodesilencio.blogspot.com/2005/12/comentem.html

até estranho leres este tipo de literatura ....

até estranho saberes ler ....

LOL