terça-feira, novembro 29, 2005

Ingratos, pobres de espírito e mais não devo dizer

Cá estamos nós em mais um dia de luta,
para que fiquem milionários um bando de filhos da puta!

Autor Desconhecido
Proferido pelo *** ******* numa noite de raiva

Pois é... Este "ditado" proferido assim fora do contexto até parece algo assim parvo. Então qual foi o contexto? Bom... foi algo simples, diga-se! Alguém, um grande amigo meu por sinal, que foi muito mas muito injustiçado.

Se há coisa que é desmotivante seja para quem for é não ter crédito por algo que se faz no nosso trabalho, ainda mais quando o que foi feito é algo extremamente complexo. Para quem entender, o que ele tinha que fazer era renomear um domínio numa rede Microsoft. Quem entender disso, sabe que é uma tarefa herculeana, e quem o faz merece o respeito...

Trabalhou vários dias até às tantas da madrugada. Fez o seu trabalho. E quando era a hora de receber nem que fosse o mínimo obrigado, chamaram-lhe incompetente por ter feito algo mais que também tinha que ser feito, para tudo funcionar... Já não falo das horas não pagas e da frustração de uma tarefa, que diga-se, era de pura cosmética visual... E se era irrelevante, mais premente se tornava o facto de agradecer à pessoa que se dedicou. Não aconteceu!

Eu estive nesse sítio (não lhe vou chamar emprego...), e o que lá aprendi foi muito pouco... aprendi a dizer "basta". Já foi qualquer coisa... e ao contrário do que essa gentinha andou por aí a dizer, fui eu a despedir-me, não foram eles a despedir-me. Mas também já se espera tudo de bestas prepotentes, que gostam de chamar os seus empregados de "esse era fraquinho", ou dizer à viva voz "esse foi claramente um erro de casting". Eu até me poderia sentir mal, mas já houve uma pessoa a desmaiar em pleno local de trabalho, com princípios de esgotamento, por excessos... Por isso a falha não foi minha. Eu simplesmente os mandei para a puta que os pariu... Porque tenho direito à minha vida e não sou um escravo para um cabrão qualquer se andar a exibir.

E sinceramente espero que o meu amigo faça exactamente o mesmo... Que se vá embora, que os mande à merda. Porque há gente que de facto é mesmo "fraquinha"... nos princípios... na atitude... na forma de estar...

Gostava de facto de saber que consciencia têm estes "erros de casting pessoal e social", quando deitam as suas cabeças nas suas (douradas... caríssimas... típicas do mais pobre novo-riquismo) almofadas.

Eu odeio gente estúpida, sem escrúpulos. Mas há ódios que guardo com um carinho especial... sou bastante rancoroso, com algumas pessoas. E quando fazem mal a mim, e a algum dos meus melhores amigos, mais rancoroso fico.

PS: Peço imensa desculpa p'lo tom raivoso do post... Mas há coisas que me metem um nojo imenso... E a parte técnica não ia estar aqui a explicar, embora perceba o assunto. Mas aqui não é o sítio para expor tais tecnicalidades...

10 comentários:

Elias disse...

"Se há coisa que é desmotivante seja para quem for é não ter crédito por algo que se faz no nosso trabalho, ainda mais quando o que foi feito é algo extremamente complexo."

Amigo,seja complexo ou não , é sempre desmotivante, prq um simples obrigado pode servir para nos alegrar.
Nós próprios vivemos essa situação no nosso trabalho , quantas vezes já foi reconhecido o teu trabalho ou de outros colegas, quantas vezes por dia nos apetece mandar tudo pqtp?

Vera disse...

Bem pelo que li a coisa está mesmo feia!!
São situações que nos desagradam e nos revoltam, mas cada um de nós muitas vezes convive com esse tipo de pessoas!! Não lhes podemos é dar tanta importância, porque essas pessoas não a merecem!!
Eu aqui no meu trabalho também por vezes sinto isso, mas tento pensar que fiz e faço o meu melhor todos os dias, e isso é o que é importante para mim, os outros que se lixem!!

Lala disse...

sem querer ferir susceptibilidades, eu espero sinceramente um dia fazer parte dos filhos da puta que se tornam milionários...

Ricardo Ramalho disse...

não digas disparates...

além de que eu nunca disse que não era possível ser milionário sem ser filho da puta...

embora ache difícil!

Vendetta disse...

Pois é… Sei perfeitamente o que isso é. Estou no ramo e infelizmente tenho que lidar com essa gentalha. Já passei por isso inúmeras vezes e sei qual é a sensação. O pior é quando o trabalho é excepcional e é outro a ter os louros. Em fim… Acho que qualquer pessoa gostaria de ser milionária, mas não é preciso ser FDP para chegar lá.
Eu trabalho para chegar ao topo e, apesar de ter levado alguns tombos no trajecto, já atingi um patamar que me permite olhar ao mesmo nível que esses FDP, só que, a esse nível, a podridão é tanta que dificilmente, pelo menos comigo, eu chegue a ser milionário porque recuso-me de viver em tamanha podridão.
A única opção certa para mim e ganhar o Euro Milhões ;)

Azrael Angel disse...

S&W Magnum .50 -> http://www.gunblast.com/images/SW500/MVC-001F.jpg

Glock 10mm -> http://www.gunblast.com/images/Glock20/MVC-035F.jpg

Colt Anaconda .45 -> http://world.guns.ru/handguns/colt_anaconda.jpg

Azrael Angel disse...

"I know, I know the sun is hot
Mosquitos come suck your blood
Leave you there
All alone just skin and bone"

Anónimo disse...

Tenho pena das pessoas q qd sentem poder se sentem mais q as outras!Dou louvor a quem sabe transpor os problemas com delicadeza e sabedoria!
Eu sou muito susceptivel a injustiças e ainda mais quando me tocam a mim!infelizmente acho q isso existe em todo o lado!
Por mais q custe...nunca deixes que te afectem... seja pela positiva seja pela negativa... tu sabes aquilo q vales e o resto são tangas!
Angel

Parafuso disse...

A ingratidão profissional é intolerável e dificil de suportar, mas ficar c/ os louros quando os louros são alheios é de muita falta de caracter e de uma traição que só a própria pessoa pode sentir.

Devemos sempre ter em mente que do lado da entidade patronal deve haver a justa valorização - por via de salários e benefícios tirados - dos seus empregados. Da parte dos empregados a dedicação ao limite da capacidade em devolver boa qualidade, competência no trabalho. Esse equilibrio tornará uma satisfação e contínuo crescimento de ambos os lados. Se, a qualquer momento um dessas forças não estiver equilibrada em relação à outra, cabe a uma das partes rompê-la e procurar o equilibrio noutro lado, como tu no passado fizeste com esta entidade patronal, designada agora por FDP - Falhados e Desejosos em Perder.

Com alguma experiência que já tenho, me ensinaram que a ingratidão é um dos maiores defeitos da nossa sociedade, e como tal não me custa nada quando encontro pessoas dedicadas e competentes sobretudo à luta das pessoas em atingir os seus fins de modo leal, de as felicitar e desejar ardentemente que não desistam e que continuem a "cantar" até que a voz lhes doa.

Contrariem essa tendência e façam frente, saibam ultrapassar esses "mal-estares" com inteligência, como diria um grande gestor financeiro:
" A vida não me facilita, mas eu não sou fácil... ela vai ter muito trabalho comigo ".

Não se deixem abater, nunca!!!

PS: Não sei se já tinha dito antes, mas dá-me um gozo em escrever neste Blog. Obrigado Ricardo...

Moreira disse...

Estas a falar do sitio cujo Boss = sin(pig) , nao estas? ;)