quinta-feira, janeiro 15, 2009

7 - Primeiríssimas impressões!

Como alguns de vós saberão, não sou particular fã da Microsoft. Aliás, a postura deles no mercado é errada, e como tal não gosto de os suportar, usando material feito por eles para fins pessoais - para fins profissionais (em Portugal p'lo menos), seria um autentico tiro no pé. Como sabem uso um mix entre Mac OS X e Linux.

Mas isto não implica que não experimente as últimas sensações vindas de Redmond! Neste caso, o hypemachine da Microsoft começa a ficar bem oleado, e temos o maior lançamento de uma aplicação em Beta jamais visto - o Windows 7. O sistema operativo está em Beta até 1 de Agosto de 2009, portanto não há desculpa para não experimentar, principalmente por aqueles que forem curiosos para usar um sistema deste tipo, e porque esta Beta é pública - basta ir ao site da Microsoft e fazer a descarga do ficheiro.

As minhas primeiras impressões são positivas (até eu me pasmo a dizer isto!):

A instalação é muito simples, não tem grandes complicações, e qualquer pessoa com um mínimo de conhecimentos sobre discos e partições (sim, não são muitas...) o consegue fazer, usando a normal forma de instalar coisas no Windows - "next next next finish".

A nova noção de taskbar, em que se mistura o quicklaunch com os programas a correr na parte de baixo do ecran é algo que já uso no meu dia-a-dia nos macs - aliás, parece uma cópia descarada num certo sentido, mas não há mal nenhum nisso. É uma boa ideia, porque não copiar? A implementação da ideia tem uma ou outra coisa mal feita, mas no geral gosto.

Criaram uma coisa que é o homegroup - é uma ideia interessante de normalizar o acesso entre máquinas na mesma rede de casa. É uma maneira de facilitar o acesso entre máquinas, e cria junto a este conceito o conceito de Libraries onde basicamente os vários sistemas a correr o Windows 7 (sim, só funciona nestes! Os sistemas mais antigos... Aguentem-se!), partilham os ficheiros numa biblioteca gigante. Uma máquina junta-se à rede de casa e automaticamente os seus mp3, vídeos e afins que o utilizador quiser partilhar aparecem nas bibliotecas de outros. Nada de realmente novo, mas é interessante a integração e facilidade de o fazer.

Pontos negativos? Sim, tem os mesmos que o Vista, e mantenho as críticas que já fiz ao Vista e ainda mais alguns:
  • É lento! Desenganem-se aqueles que pensam que este vai ser mais rápido que o Vista. Os requesitos são exactamente os mesmos, e não são baixos. Aliás, os testes que diziam que era mais rápido que XP devem ser algo estranhos porque sinceramente não me pareceu nada rápido.
  • DRM - Digital Restrictions Management
  • Acabou a opção de usar o startmenu tipo Windows 95! Não consigo usar aquela coisa esquesita que meteram no Vista. Não é utilizável, ponto.
  • Muitos clicks para chegar a coisas que antigamente eram banalíssimas, tipo "Administrative Tools". Tudo está lá, mas parece que está pensado só para as tarefas mais usadas ou algo assim.
  • Não vem com cliente de e-mail. Tem a ver com os casos de concorrencia desleal, compreendo e é mesmo assim que deve ser, mas todos os concorrentes vêm com cliente de e-mail - Ubuntu Linux vem com o Evolution, e Mac OS X vem com o Mail.app.
Basicamente é o Vista, com uma roupa mais bonita. Ou melhor, Windows NT 6.1.

Experimentei o sistema, versão 32bit, em duas máquinas:
  • iMac 24" em Bootcamp (Core 2 Duo@2.16GHz, 3Gb de RAM)
  • Intel Atom 1.6 GHz, 2 Gb RAM
Quando for a versão final, se me oferecerem uma versão, pode ser que a use. De outra forma, não vou pagar um preço de assalto por um sistema operativo.

1 comentário:

blueminerva disse...

Tradução para leigos... não há?


beijocas de uma atrasada mental no que a informática diz respeito